domingo, 11 de julho de 2010

Sobre Lila e a bicicleta


Lá estava Lila e a bicicleta a enganar qualquer passante, iludindo qualquer um. De óculos escuros e fones de ouvido, parecendo a mulher bem resolvida que nunca foi.
Pobre do rapaz que passa e a olha com um sorriso franco pensando que ela é feliz. Coitado! Como a moça é dissimulada...
Ela canta Beatles e ri de si mesma. Ri de sua farsa, ri de sua dor, ri de quem passa e acredita que ela ri de verdade, que ela ri de alegria.
As pernas não param. Os meninos que jogam bola a olham. O camelô a olha. As crianças riem pra ela... todos iludidos! Coitados...
"Que moça feliz, decidida... Olha como ela se diverte sozinha! Um amor!"

Ah, pobre gente... não sabe que, ao guardar a bicicleta em casa, Lila nem quis saber e deixou na praça o sorriso que fingiu em vão.
Coitado de quem ainda crê naquela moça...

4 comentários:

adrikzinha disse...

"Minha doce dor se esconde
Por trás de um sorriso,
Comprado, corrompido
Feliz fingido"

totalmente no clima MCA da semana

Anne disse...

Lila tem uma coisa que não deixa ngm ficar longe. Ela tenta ser triste, mas ela é alegria.

Vera disse...

Mas todos nós temos um pouquinho disso. Às vezes escondemos a tristeza apenas para não contagiar as outras pessoas.

sagara disse...

Lyla,as máscaras que forjamos para nós mesmos às vezes tem vida própria...