quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Onde já não caibo


Eu já não caibo em conversa, em versos, em prosas. Eu me ajeito, me aperto, mas já não caibo também em risos, em músicas, em filmes B.
Nem em frases de efeito, nem em cinismo sem hora, nem na TV ligada às 4 da manhã. Eu não me encaixo em decassílabos, em redondilhas, em afinações, em tríades perfeitas. Não caibo no peito dos amigos, nem na memória dos inimigos, no bem querer de alguém. Não, eu não me acho em meu quarto, em meu espelho, em meu pensamento. Eu não me vejo em livros, em comerciais. Não me vejo nas propagandas alegres de cerveja, nem na mesa farta dos comerciais de margarina. Eu não caibo mais na minha cama, nas cadeiras da mesa, nas paredes da casa. Eu não me encaixo em sambas, boleros, tangos. Não me sinto na música clássica, nem num cochicho, nem no assobio de lavadeira... Em nenhuma canção.
Não me sinto destinatária de um riso de criança, de cartas de amor anônimas, de bilhetes não datados jogados no alpendre da minha janela. Eu já não vejo a janela, nem o alpendre, as letras das cartas, o riso.
Talvez eu não caiba mais em alegria desmedida, em Natal, Réveillon, Carnaval... Não me encaixo mais em carinhos, abraços, beijos...
E a única coisa triste de tudo isso: Eu já não caibo nos braços de minha mãe.

8 comentários:

Thiago Lira disse...

=O

nossa, post foda...

fabiana disse...

cabe simm, marília!
tu é magrinha
é só aproveitar quando ela tiver na cadeira de balanço, encolher as pernas e cair pá dentro :P

tu cabe em mim :P
se joga
eu sou fofinha, amorteço
teamo

Mel disse...

Gosto de pessoas viscerais e inteligentes.

Eu já disse que te amo?

=*

Anne disse...

Cabe mesmo não... Vc eh grande demais comparada as coisas q existem nesse mundo...

E, além do mais, vc virou adulto.
Vc não cabe em nada físico, material, tocável. Nessas horas eu glorifico: amém Platão e o mundo das idéias!

Eu penso: abençoada seja a metafísica!

Mônica disse...

Todo mundo já disse tudo que tinha de ser dito mesmo... mas não importa vou repetir: DEMAIS! Vc é um genio :) Adoro te ler, mesmo quando as coisas estão amarrotadas ou apertadas demais :P
Acho a idéia de nós não cabermos em quase nada muito interessante! Já pensou: somos os sem medidas, nada mais daquele homem vitruviando de Da Vinci? Caramba, to viajando demais...
Enfim: DEMAIS!
Beijos

Eliane Melo disse...

Lyla....amei o POST
lindíssimo parabéns

Márcio Guimarães disse...

Muito profundo mesmo!

Helisa disse...

Muito profundo, adoro essas coisas profundas!

As vezes tenho essas inspirações profundas também...

Mas você cabe, você em meus olhos, na lembrança de uma menina tão novinha, tão pequena que as vezes nem sabe o faz ou o que diz, mas cabe você em minha lembraça, como uma doce mulher que adorei conhecer naquele dia...

Beijos Marilia ^^